Lula corre alto risco de ir para a cadeia. Está fora do poder (não tem foro privilegiado). Com Moro, seu processo caminha rapidamente. Já foram marcadas as primeiras audiências de instrução (colheita de provas) para o final de novembro. Se as provas forem incriminatórias, sua condenação será inevitável. Há grande risco de estar fora da disputa eleitoral de 2018.

O esquema de propinas na Petrobras (e outras estatais: Transpetro, Usina de Belo Monte, Eletronuclear, Eletrobras etc.) envolvia o PT, o PP e o PMDB. Dos grandes partidos, restava o PSDB. Com as primeiras delações odebrechtianas já se sabe que também o PSDB era abastecido com o mesmo propinoduto.

Todo o sistema político brasileiro foi afetado pela peste verde (a peste das verdinhas, dos dólares). Serra (por exemplo) foi picado por uma mosca verde de R$ 23 milhões. O financiamento da governabilidade, dos partidos e dos políticos foi feito praticamente pelas mesmas fontes. Nas delações da Odebrecht estamos vendo provas desse fenômeno, já intuído por muita gente.

Quem foi picado por uma mosca de R$ 23 milhões pode ser por outra de R$ 50 ou de R$ 100 milhões ou mais. Já se sabia que Sérgio Guerra (ex-presidente do PSDB) levou R$ 10 milhões do propiduto da Petrobras (por esse dinheiro arquivaram uma CPI). Com o envolvimento do PSDB fecha-se o cerco.

Fernando Henrique Cardoso (PSDB): ”O sistema político brasileiro está em frangalhos; nosso sistema político acabou; nenhum país no mundo funciona quando você tem 30 partidos no Congresso e outros 20 em preparação; isso é a receita para o desastre; não tem como governar, fazer maioria; a corrupção virou uma coisa patológica, que minou todo o País; houve um processo de desmoralização de muitas instituições pela corrupção que generalizou” (ver 247). Note-se que FHC não excepcionou o PSDB (que foi atingido pela mesma peste).

Na verdade, o sistema político (partidário e eleitoral) brasileiro não está podre. Sempre foi (desde as eleições para as Câmaras municipais no tempo da Colônia).

A peste verde está para o sistema político brasileiro como a peste negra está para a Europa da Baixa Idade Média (século XIV), que matou cerca de 75 milhões de pessoas (metade da população, na época). Ambas são pandemias (ou epidemias). A peste negra é causada pela bactéria Yersinia pestis. A peste verde é provocada pela bactéria propinoductos eleitoralis. As propinas giram em torno do Estado (do dinheiro público). A peste negra é transmitida pelas pulgas dos ratos-pretos. A peste verde é sustentada pela trilogia dinheiro, corrupção e poder.

Dinheiro, corrupção e poder sempre foi a trilogia vigente.

Luzias (os liberais) e saquaremas (os conservadores), no Império, procediam da mesma maneira (corrupta). A peste verde (das verdinhas, dos dólares, do propinoduto) é avassaladora e universal. Poucos políticos escapam das suas garras.

O golpe de misericórdia no sistema político está sendo dado pelo propinoduto odebrechtiano. Um retrato das propinas das empreiteiras e muitas outras empresas com contratos ou interesses nos favores públicos (benesses do Estado).

Contratos superfaturados em obras ou serviços públicos. Os partidos, mesmo não estando no poder, são financiados pelos contratos feitos com as estatais. A fonte é uma só. O dinheiro desviado do contribuinte paga toda essa conta. Essa velha forma de fazer política e de se enriquecer está com seu prazo de validade vencido. Nós temos que dar cartão vermelho para todos que fazem parte desse sistema.

Serra deveria ser exonerado do governo Temer. Mas ele mesmo e tantos outros ao seu lado foram atacados pela mesma peste verde. O sistema está inteiramente podre. Vai desaparecer em bloco.

Comentários